Compartilhe
Blog

Classificação de Risco através do Protocolo de Manchester

O objetivo central do Protocolo de Manchester é permitir a agilidade no atendimento médico, evitando filas e dando prioridade para casos graves. Portanto, o paciente não é atendido de acordo com a ordem de chegada e, sim, de acordo com a gravidade do seu estado de saúde. Para isso, deve-se classificar o doente de acordo com o grau de risco definido pelo Protocolo de Manchester.

Pulseiras de identificação no Protocolo de Manchester

Todo paciente deve passar pela triagem onde o responsável médico definirá a gravidade do caso de cada um e, consequentemente, determinará o tempo aproximado de espera para o atendimento. De acordo com o Protocolo de Manchester, a classificação dos enfermos é feita através de cores. O uso de pulseiras de identificação com a cor definida agiliza o processo. A PasseVIP permite a personalização de pulseiras de identificação que, além da cor indicada, podem ter o nome do hospital e informações sobre o paciente.

É fundamental que os médicos e enfermeiros tenham um correto conhecimento sobre o sistema do Protocolo de Manchester a fim de evitar erros que possam causar danos a pacientes. Confira as classificações:

  • Emergência

Nesse caso, a cor usada é o vermelho e a espera do atendimento deve ser imediata, um minuto a mais pode ser crucial em casos como esse.

  • Muito Urgente

A cor usada nesse grau de risco é a laranja. O tempo de espera deve ser praticamente imediato, o paciente pode tolerar até 10 minutos para ser atendido.

  • Urgente

Em casos urgentes, a cor indicada pelo Protocolo de Manchester é a amarela. Pacientes que foram classificados nesse estágio necessitam de um rápido atendimento. Entretanto, podem aguardar até 50 minutos.

  • Pouco Urgente

Os casos pouco urgentes são caracterizados pela cor verde. Em situações como essa, o paciente pode aguardar cerca de 120 minutos para o atendimento ou até ser encaminhado para outros serviços de saúde.

  • Não Urgente

Caracterizado pela cor azul, os pacientes classificados nesse grau de risco podem esperar até 240 minutos pelo atendimento ou, como no caso pouco urgente, serem encaminhados para outros serviços de saúde.

Os fatores que determinam a prioridade no Protocolo de Manchester são: ameaça à vida, ameaça à função, dor, duração do problema, idade, história e riscos de maus tratos.

A definição do estágio de risco de cada paciente deve ser feita por um profissional na área da saúde. A análise é feita de acordo com os sintomas apresentados e com os fatores que determinam prioridade. A triagem deve ser feita de forma rápida a fim de garantir o atendimento de pacientes em casos de emergência.

Confira através do nosso site os modelos de pulseiras de identificação para hospitais e solicite o seu orçamento online! Confira também o uso de pulseiras de identificação no processo de triagem de acordo com o Protocolo de Manchester.